Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




por Dina Martins, em 19.10.19

Dançar

De acordo com o conceito, dançar é mover o corpo segundo as regras da dança, oscilar, saltar. Tudo isso está logicamente correto, mas dançar, de alma e coração, é muito mais do que um conjunto de movimentos lógicos. É voar pelo infinito, pairar entre as estrelas, libertar o corpo numa viagem de movimentos, brincadeiras, sorrisos, emoções.
A música toca alegremente e nossos corpos movem-se, com um enlaçar de dedos e um abraço, umas vezes fechado outras aberto, tal como o ritmo de nossos corações o determina. Os pés deslocam-se em sintonia, ora aproximando-se ora afastando-se, num jogo que nos permite acompanhar o ritmo da música. Movimentos mágicos que nos trazem alegria, verdadeira felicidade; que nos fazem sentir quem somos. Tudo o resto deixa de existir e, naquele momento único, só la estamos nós e a música, nada mais.
Meu corpo sabe exatamente o que fazer, não necessita de pensar, apenas sentir; sentir sintonia com o par, sentir a melodia e deixar-se fluir, libertando-se numa fusão de emoções, movimentos, ora suaves ora enérgicos. E as pausas… as suspensões… os silêncios… por breves segundos fazem-nos regressar, assentar os pés na Terra, para depois nos deslocarmos para uma nova viagem, ainda mais alucinante, “ao infinito e mais além!”, onde a nossa criança interior pode dar asas à sua imaginação, pode construir, desconstruir e recomeçar de novo, sem medos, sem críticas, sem limitações. Tudo é possível neste mundo encantado. É para lá que regresso sempre que uma boa música preenche as minhas células, fazendo-as vibrar em sintonia com o Universo.

Dança.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:13